Governo define novas diretrizes para tabela do frete

Caminhoneiros passarão a operar sob um novo piso de frete. A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), publicou, nesta quinta-feira (18), uma resolução alterando as regras para o cálculo do frete mínimo do transporte de cargas.

Segundo a medida, 11 novas categorias de cargas vão ser levadas em consideração para calcular o valor mínimo de transporte dos produtos. Além disso, na nova fórmula, também vão ser utilizados o coeficiente de carga e descarga  do caminhão, os custos com a desvalorização do valor do veículo, a remuneração do caminhoneiro, impostos, além da distância percorrida para o serviço contratado.

Quem contratar um transporte a um preço abaixo do frete mínimo vai ter que pagar multa de duas vezes a diferença entre o valor pago e o piso do frete, não podendo ser menor que quinhentos reais e nem superior e R$ 10.500 mil. Já a pessoa ou empresa que ofertar o serviço a um preço abaixo do mínimo paga uma multa de R$ 4.975.

A tabela de fretes foi uma reivindicação dos caminhoneiros após a greve da categoria que paralisou o país, em maio do ano passado. Já o reajuste na tabela foi um pedido feito em abril deste ano, em reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, quando ameaçaram fazer nova paralisação, mas se disseram contentes com o acordo firmado com o ministério.