Idosa morre no Distrito Federal com suspeita de H1N1

Por , em Notícias DF dia . Salvo na tag:

Este seria o primeiro óbito do ano em decorrência desse tipo do vírus. A Secretaria de Saúde não oficializou o caso

O Distrito Federal pode ter registrado a primeira morte do ano por H1N1. Uma idosa de 83 anos que teve a presença do vírus confirmada através de exames laboratoriais realizados durante o período em que ficou internada. O óbito aconteceu na última terça-feira (30/4), no Hospital Home, na 613 Sul. A Secretaria de Saúde ainda não confirma o caso.
De acordo com familiares da vítima, a idosa veio recentemente do Rio de Janeiro (RJ) e começou a sentir dificuldade para respirar, além de apresentar febre alta. Na manhã de segunda-feira (29/4), ela foi internada e passou por uma série de avaliações. Em uma das amostragens foi detectada a infecção por Influenza A, tipo H1N1. No atestado de óbito consta que a causa da morte se deu por Síndrome Respiratória Aguda, Sepse Pulmonar e Leucemia.
Exame indica presença de H1N1 em idosa que faleceu na última semana, no DF(foto: Arquivo Pessoal)
Exame indica presença de H1N1 em idosa que faleceu na última semana, no DF(foto: Arquivo Pessoal)
O Hospital Home afirmou que, em casos de doenças cujas notificações são compulsórias, a unidade encaminha imediatamente a situação aos órgãos de vigilância, como exige a legislação. No entanto, a Secretaria de Saúde não oficializou a situação.
Continua depois da publicidade
“Quando ocorre uma notificação de caso suspeito de Influenza, ou até mesmo um óbito, a equipe da vigilância epidemiológica realiza uma contraprova do resultado, por meio de exame laboratorial feito no Lacen. Somente após o resultado deste exame o caso é confirmado”, informou a pasta.
O último boletim epidemiológico divulgado pela saúde não inclui o caso da idosa, indicando apenas seis pacientes que contraíram H1N1, mas resistiram à doença. No mesmo balanço, foram confirmadas 258 pessoas com síndrome respiratória aguda grave (SRAG), sendo que 19 delas vieram a óbito. No entanto, em apenas oito dos casos fatais foram identificados um tipo de vírus. Se comparado ao mesmo período do ano passado, as mortes com especificação viral dobraram ­­—  de quatro casos passou para 8 . Em relação a 2017, o número quadruplicou.

Vacine-se

Até o Dia D, realizado no sábado (4/5), aproximadamente 220 mil pessoas haviam tomado a dose da vacina contra a gripe. O objetivo do governo é imunizar, até 31 de maio, 90% do público alvo, que é de 790 mil pessoas.
Devem se vacinar crianças e gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto (puérperas), pessoas com 60 anos ou mais de idade, trabalhadores da saúde, indígenas, professores de escolas públicas e privadas, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras em condições clínicas especiais, bem como os adolescentes e jovens com idade entre 12 e 21 anos em medida socioeducativa, população privada de liberdade, policiais civis, militares e bombeiros, e os servidores do sistema prisional.
O objetivo da campanha é reduzir as complicações, internações e mortalidade decorrentes das infecções provocada pelo vírus da influenza na população-alvo. É importante receber uma nova dose anual porque a composição da vacina muda de acordo com o vírus circulante.
 A dose está disponível em todos os Unidade Básica de Saúde, mas a Secretaria de Saúde recomenda que o cidadão dê preferência a uma unidade mais próxima de sua residência.
Publicações Recomendadas