Mesmo após vazamento de conversas, projeto de Moro caminha na Câmara

Responsável pelo parecer do projeto anticrime, Capitão Augusto (PL-SP) minimizou impacto das revelações feitas por site e disse que levará suas conclusões para grupo de trabalho nesta quinta-feira

O deputado Capitão Augusto (PL-SP) negou que o clima esteja desfavorável e confirmou que vai apresentar, nesta quinta-feira (13/06), o parecer sobre o pacote anticorrupção do ministro da Justiça, Sérgio Moro, ao grupo de trabalho criado para discutir o tema na Câmara dos Deputados.

“Essencialmente, o projeto é o mesmo. Mudei apenas questões textuais, correções de vírgulas. Mas vou apresentar as minhas considerações nesta quinta, às 9h da manhã.”
Questionado pelo Correio sobre o momento político do ministro, que teve conversas envolvendo a Operação Lava-Jato divulgadas no último domingo (9/6), Augusto disse que “o mundo em Brasília muda a todo instante”.
“Na hora, pegou mal. Depois, descobriu-se que o jornalista que conduziu a matéria (Glenn Greenwald, do The Intercept) é marido de um deputado da oposição. Aí se coloca tudo em xeque”, atacou o deputado.
A reportagem revelou conversas entre Sérgio Moro e o procurador da Lava-Jato Deltan Dallagnol. Para especialistas, o conteúdo dos diálogos indica irregularidades no comportamento de Moro como juiz e da força-tarefa da Lava-Jato.

Pacote anticorrupção

Dias após assumir a cadeira de ministro do presidente Jair Bolsonaro, Sérgio Moro anunciou sua intenção de enviar um pacote anticrimes para apreciação do Congresso Nacional.
O projeto acabou escanteado pela reforma da Previdência, tratado como prioridade máxima do Planalto. Um dos pontos polêmicos é a excludente de ilicitude, tratada como “licença para matar” por alguns setores da sociedade.
Publicações Recomendadas