”Não vão encontrar nada que me comprometa”, diz Bolsonaro sobre hackers

Presidente da República se pronunciou sobre ter celulares como alvo de supostos hackers presos na última terça-feira

O presidente Jair Bolsonaro não demonstrou preocupação com o hackeamento de celulares utilizados por ele. Em solenidade de entrega de medalhas da Olimpíada Internacional da Matemática sem Fronteiras, em Manaus, no Colégio Militar da Polícia Militar da capital amazonense, sustentou que não trata de assuntos sensíveis de Estado na troca de mensagens. Afirmou, ainda, não ter receio sobre o conteúdo de mensagens que possam ser vazados. “Não encontrarão nada que me comprometa
A informação de que celulares do presidente foram hackeados foi publicada, nesta quinta-feira (25/7) pelo Ministério da Justiça, atribuindo o comunicado feito ao próprio Bolsonaro “por questão de segurança nacional”. Por ora, não há confirmação se acusados presos pela Polícia Federal (PF) tiveram acesso ao conteúdo de aplicativos de mensagens do capitão reformado.
O presidente até manifestou que tinha alguma noção de que telefones celulares poderiam estar sendo criminosamente monitorados por hackers. “Eu achar que meu telefone não estava sendo monitorado por alguém seria muita infantilidade. Não apenas por eu ser capitão do Exército, conhecedor da questão da inteligência. Sempre tomei cuidado nas informações estratégicas. Essas não são passadas via telefone”, sustentou, sem demonstrar preocupação com um possível vazamento. “Não estou nem um pouco preocupado se, porventura, algo vazar aqui do meu telefone. Não vão encontrar nada que me comprometa”, declarou.

Rede social

No Twitter, o chefe do Palácio do Planalto afirmou que foi informado por questão de segurança nacional. “Um atentado grave contra o Brasil e suas instituições. Que sejam duramente punidos! O Brasil não é mais terra sem lei”, afirmou. Ainda na rede social, Bolsonaro afirmou que não trata qualquer tema nacional via celular. “Por oportuno, informo que jamais tratei temas sensíveis ou de segurança nacional via celular”, conclui.