Neurocientista da Rede Sarah, formada na UnB, recebe prêmio inédito no Brasil

Por , em Notícias DF dia . Salvo na tag: , ,

Lúcia Braga será primeira pesquisadora da América Latina a receber o ‘Distinguished Carreer Award’. Evento é nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro.

A neurocientista e presidente da Rede Sarah de hospitais, Lucia Willadino Braga, vai se tornar a primeira pesquisadora da América Latina a receber o prêmio “Distinguished Carreer Award”. A honraria é um reconhecimento pelo trabalho realizado por cientistas ao longo da carreira.

O evento, organizado pela Sociedade Internacional de Neuropsicologia (INS), dos Estados Unidos, ocorre nesta quarta-feira (10), no Centro de Convenções SulAmerica, no Rio de Janeiro. Esta será a 89º edição do congresso.

Formada pela Universidade de Brasília (UnB), Lúcia tem pós-doutorado (PhD) em neurociência e estuda a interação entre pensamento, comportamento e emoções com as estruturas neurais.

Ao longo de sua trajetória, a especialista criou e comprovou métodos de neurorreabilitação para pessoas com lesões no cérebro, hoje, implantados em diversos países do mundo.

Neurocientista da Rede Sarah ganha prêmio internacional
Bom Dia DF

Sobre o prêmio, a pesquisadora diz que recebe a homenagem “com alegria no coração” e divide o reconhecimento com os colegas da área. Em relação ao tema estudado, a pesquisadora explica que os estudos comprovam a capacidade do cérebro de estabelecer novas conexões, mesmo em idades mais avançados.

“Até um tempo atrás havia um conceito de que, a partir de uma certa idade, o cérebro não se desenvolvia mais”, explica. “Hoje, a gente vê que ele continua se desenvolvendo em pessoas com mais de 50 anos. Há também pessoas com mais de 60 anos fazendo novas redes neuronais”.

A premiação

O prêmio “Distinguished Carreer Award” foi criado para reconhecer cientistas, que, de alguma forma, contribuíram significativamente com a produção de conhecimento para a neuropsicologia e neurociência internacional.

A escolha dos profissionais fica a cargo da Sociedade Internacional de Neuropsicologia, criada em 1967. Desde essa época, a instituição nunca havia elegido um profissional latino-americano para receber a honraria.